A Canção do Realejo
de Ester Vieira

Temporada artística

2001/2002

Em exibição

25 novembro 2001 a 08 fevereiro 2001
Cine Teatro de Santo António

Classificação etária

Maiores de 3 anos

Duração

1 Hora
(aproximadamente)

Encenação
Ester Vieira

INTÉRPRETES E PERSONAGENS

Duarte Rodrigues | Homem do Realejo, Mágico e Gepeto
Zé Ferreira | Bobo e Limpa-chaminés
Celina Pereira ou Zé Abreu ou Cipriano Gouveia | Cego 
Zé Abreu | Homem da Tranquelitana 
Zé Abreu ou Cipriano Gouveia | Palhaço e Querubim 
Paula Rodrigues ou Alexandra Salete | Mimo
Celina Pereira ou Isabel Castro | Boneca de Pano e Mãe Natal
Alexandra Salete | Trovador (voz) 

Figuração:

Carina Branco, Cláudia Luís, Filipe Silva, Letícia Nunes, Mara Fernandes e Maria João Sargo

Ficha Artística e Técnica

Autoria e Encenação | Ester Vieira
Direção de Cena | Cristina Loja
Movimentos Coreográficos | Henrique Amoedo
Cenografia | Duarte Rodrigues
Adereços Cenográficos (Carro do Realejo, Fantoches) e Caracterização | Miguel Vieira
Adereços Gerais | Délia Gordinho
Carpintaria e Serralharia | EPF
Encarregue de Contra-regra | Dinarte Freitas e Sónia Gomes
Figurinos | Dina Pimenta
Chefe de Costura | Julieta Arriaga
Ajudantes de Costura | Teresa Poião, Conceição Franco e Conceição Jardim
Desenho de Luz | Hélder Martins e Duarte Rodrigues
Montagem e Operação de Luz | António Freitas
Músicas, Arranjos, Direcção de Vozes e Efeitos | Ricardos Gonçalves
Interpretações das Canções | Ester Vieira, Fernanda da Gama, Ricardo Gonçalves e Duarte Rodrigues
Sonoplastia | Henrique Vieira
Operação de Som | Henrique Vieira/Cristina Loja
Ilustração do Programa | Helena Freitas
Arranjo Gráfico | EPF

Texto da Encenadora

Olá Crianças,
Antes de mais, desejo que esta história vos contagie de alegria, de magia e de sonho. Foi a pensar nisso que imaginei e trabalhei durante algum tempo.
Mas, porque o Teatro necessita de muita gente e de muito trabalho para podermos chegar a todos e ter um final feliz, devo dizer-vos que nada conseguiria se não tivesse comigo toda a equipa que me ajudou a dar-lhes forma.
O carro do Realejo, representa como que uma fábrica de sonhos, o caminho de passagem para um mundo onde tudo o que quisermos poderá acontecer.
A Canção do Realejo é a forma que o carro utiliza para nos ajudar a entrar nesse mundo de fantasia, um mundo ideal, onde todos podemos ser mais felizes.
Então amigos, vamos lá partir para essa grande viagem… fiquem todos com A Canção do Realejo e, sobretudo… nunca se esqueçam de IMAGINAR!…

0

Start typing and press Enter to search

Produção 81 do Teatro Experimental do FunchalProdução 86 do Teatro Experimental do Funchal