Era Uma Vez…Duas Histórias Duma Vez
de António Manuel Couto Viana

Temporada artística

1999

Em exibição

1999
Cine Teatro de Santo António

Classificação etária

Maiores de 3 anos

Duração

1 Hora
(aproximadamente)

Encenação
Miguel Vieira

INTÉRPRETES E PERSONAGENS

Duarte Rodrigues | Narrador 1; Catrapuz; Tendeiro e Cigano 2
Patrícia Perneta | Actor 1; Narrador 2; Clarim e Freguesa 2
Zé Ferreira | Actor 2; Catrapaz; Clarão e Cigano 1
Zé Abreu | Actor 3; Catrapiz; Freguês 2 e Lavadeira
Cristina Loja | Actor 4; Freguesa 1 e Feirante
Rafael Teixeira | Actor 5; Freguês 1 e Feirante 2

Ficha Artística e Técnica

Autoria | António Manuel Couto Viana
Adaptação, Encenação e Direcção de Actores | Miguel Vieira
Assistência e Direcção de Cena | Cristina Loja
Encarregue de Contra-regra | Rafael Teixeira
Concepção Plástica | Miguel Vieira
Adereços | Rúben Teixeira
Equipa Plástica | Cláudia Nunes, Louisa Roldão, Rúben Teixeira
Dispositivo Cénico, Carpintaria e Pintura | S.R. Interiores e Exteriores
Execução de Guarda-roupa | Julieta Arriaga
Assistentes | Conceição Jardim, Conceição Franco e Teresa Poipão
Concepção Gráfica | Programa e Material de Divulgação – Paulo Pimenta
Letra das Canções | Couto Viana e Ester Vieira
Composição, Orquestração e Direcção de Vozes | Ricardo Gonçalves
Canção Final | Ester Vieira, Bruno Pereira, Fernanda da Gama, Fernando Almeida e Paula Erra
Sonoplastia | Henrique Vieira
Luminotecnia | Hélder Martins
Operador de Luz | Élvio Nunes
Colaboração Produção | Zé Abreu

Sinopse

Era uma vez…
Três amigos que, em tempos já muito antigos, saíram da sua terra, à procura do mistério e da aventura.
Era também uma vez…
Dois irmãos belos e jovens, fortes e sãos. Um sempre a dizer que sim, outro a dizer que não. Mas o melhor é que sejam… E se ouçam… E se vejam… eles próprios a falar. Durante muito tempo, vivi maravilhado e surpreso na magia o teatro. Só ele me permitia sonhar! Saltava das páginas impressas dos livros para o palco, onde ganhava vida, forma, e fingia muitas vidas.
Era uma vez… Duas histórias duma vez é recordar, continuar a viver, ensinar e sonhar e acreditar nessa magia do teatro.

Um abraço amigo.
Miguel Vieira

Start typing and press Enter to search

Produção 71 do Teatro Experimental do FunchalProdução 74 do Teatro Experimental do Funchal