As Preciosas Ridículas
de Molière

Temporada artística

1992

Em exibição

maio de 1992
Teatro Municipal Baltazar Dias

classificação etária

Maiores de 12 anos

Duração

50 minutos (aproximadamente)

Encenação
Eduardo Luíz

INTÉRPRETES E PERSONAGENS

Paulo Brazão | La Grande (Amante Desdenhado)
Duarte Rodrigues | Du Croisy (Amante Desdenhado) 
Bernardete Andrade | Senhora Górgibues (A Boa Cidadã)
Paula Erra | 1ª Criada
Isabel Queiróz | 2ª Criada 
Maria Sílvia | Marota (Criada das Preciosas) 
Fátima Rocha | Madalena (Preciosa Ridícula) 
Ester Vieira | Catarina (Preciosa Ridícula) 
Emanuel de Abreu | 1ª Cadeirinha e Almanzor (Lacaio das Preciosas)
Miguel Vieira | 2ª Cadeirinha
Élvio Camacho | Marquês de Mascarilha (Criado de la Grange) 
Emanuel Berenguer | 1º Lacaio e 4ª Vizinho
Paulo Alves | 2º Lacaio e 2º Criado (de Du Croisy)
Sérgio Perneta | 3º Lacaio
Eleutério Marote | 4º Lacaio e 1º Criado (de la Grange)
Miguel Vieira | Visconde de Jodelet (Criado de Du Croisy) 
Márcia das Dores | 1ª Vizinha
Sérgio Perneta | 2ª Vizinho
Patrícia Perneta | 3ª Vizinha

Ficha Artística e Técnica

As Preciosas Ridículas de Molière
Adaptação, Encenação e Direcção Artística | Eduardo Luíz
Direcção de Cena | Miguel Vieira e Emanuel de Abreu
Assistência ao Palco | Paula Erra, Márcia das Dores e Patrícia Perneta
Cenário e Figurinos | Margarida Lemos Gomes
Carpintaria e Montagem | Mestre João Lino
Ajudantes | Humberto Andrade, Júlio Freitas, José Perestrelo e Elmano
Pintura | Mestre José da Corte
Confecção do Guarda-roupa | Julieta Rodrigues
Ajudantes | Teresa Araújo, Merita Henriques, Isabel Rodrigues e Filipa Rodrigues
Iluminação | Hélder Martins e António José
Ajudante de Iluminação | David Ferreira
Música | Stradella
Apontamentos Musicais, Gravação e Sonorização | Henrique Vieira
Artes Gráficas | Cristina Loja
Adereços | Cristina Loja, Márcia Pimenta e Ema Loja
Apoio Cabeleireiros | Salão Correia
Produção | Teatro Experimental do Funchal
Coordenação de Produção | Eugénio Cabral

Texto do Encenador

…AS PRECIOSAS RIDÍCULAS uma sátira burlesca contra os snobs da época

AS PRECIOSAS RIDÍCULAS eternas coquettes, um pouco tolas, contentes por encontrarem uma maneira de se fazer distinguir, um modo de trazer um toque de falso pudor à galanteria, fora da moda, expressando-se num tom lânguido, num estilo cheio de tiques.
AS PRECIOSAS RIDÍCULAS uma peça altamente farsesca e irreal. Contudo, existindo por detrás de todo o arrebatamento, de todas as suas palhaçadas, da exageração cómica um quadro real de costumes, hábitos de época.
AS PRECIOSAS RIDÍCULAS ao mesmo tempo que nos fazem rir, Molière ensina-nos a ver e a reflectir.
AS PRECIOSAS RIDÍCULAS a primeira comédia em que Molière atacou os ridículos da sociedade e satirizou os seus defeitos…
Há males de que é preciso rir; não rir é pactuar com a respeitabilidade que eles se arrogam e de que vivem, pois tomam-se infinitamente a sério, pelo menos em funções, ou exigem sê-lo. E é já um grande serviço ensinar o público não só a rir deles, mas a saber que tal seriedade é precisamente o que os torna mais dignos do ridículo.
O público bem o entenderá.

Start typing and press Enter to search

Produção 103 do Teatro Experimental do FunchalProdução 31 do Teatro Experimental do Funchal