Branca como a Neve
de Eduardo Luíz e Magda Paixão

Temporada artística

2007/2008

Em exibição

30 novembro 2007 a 3 fevereiro 2008
Cine Teatro de Santo António

Classificação etária

Maiores de 2 anos

Duração

1 Hora
(aproximadamente)

Encenação
Eduardo Luíz

INTÉRPRETES

Ana Graça
António Ferreira
Dina de Vasconcelos
Sónia Carvalho
Magda Paixão
Zé Ferreira

Ficha Artística e Técnica

Encenação | Eduardo Luíz
Texto e Dramaturgia |
 Eduardo Luíz e Magda Paixão
Música Original e Direcção Vocal | Fernando Almeida
Figurinos, Adereços e Caracterização | Zé Ferreira
Espaço Cénico | Eduardo Luíz e Cristina Loja
Letras das Canções | Magda Paixão
Coreografia | Eduardo Luíz e Zé Ferreira
Desenho de Luz | Eduardo Luíz
Direcção de Cena e Operação de Som | Cristina Loja
Montagem e Operação de Luz | TEF
Montagem de Som | Henrique Vieira
Mestra de Guarda-Roupa | Ilda Gonçalves
Ajudante de Costura | Conceição Franco
Sector para a Infância e Juventude | Magda Paixão e Ana Graça
Manutenção do Espaço | Maria José
Produção Executiva, Frente de Casa e Bilheteira | Patrícia Perneta e Élvio Camacho
Design Gráfico | Dupla DP

Texto do Encenador

Os maus só vencem enquanto os bons não crêem.

Olá meninas e meninos! Desta vez, vimos contar-vos uma história branquinha… que escrevi há muitos anos a partir do meu imaginário, construído numa infância que me proporcionou a beleza de ler, criar, imaginar e na prática brincar muito. Nessa altura vivia cheio de sonhos que acalentara desde miúdo e reforçara com o nascimento de um novo tempo. Hoje vivo cheio de sonhos porque me inspiro em vós.
Este texto esteve guardado numa caixa à espera duma oportunidade, um sonho futuro que agora se torna realidade com a preciosa colaboração da Magda Paixão, que assina as letras das canções, dramaturga cujas peças tenho encenado com especial ânimo. Branca Como a Neve teve por base a História da Branca de Neve, compilada no séc. XIX pelos famosos irmãos Grimm, contudo, afasta-se do original, pela atitude rebelde da protagonista.
Vocês não imaginam como se pode tornar divertida uma história, onde os bons vencem os maus… Ariana, a Branca desta história, não se refugia na floresta, antes fica no palácio e tenta reunir os que podem derrubar o poder de Miquelina, a Rainha usurpadora do seu mundo.
É importante que tenhamos forças e coragem para nunca deixar o mal nos enganar e para isso é preciso crer.

Sinopse

Um rei, preocupado em coleccionar pássaros, abandona o seu reino nas mãos de uma rainha, sua esposa, má e déspota, preocupada única e exclusivamente com a sua beleza, bem-estar e poder. Ariana, a princesa, branca como a neve, atenta e consciente da tristeza do seu tão amado povo, procura alertar o rei para a situação em que este se encontra. A rainha, sua madrasta, não querendo ser descoberta, tudo faz para calar aquela que é mais bela e pura do que ela.

Start typing and press Enter to search

Produção 111 do Teatro Experimental do FunchalProdução 97 do Teatro Experimental do Funchal