O Patinho Feio
a partir de Maria Clara Machado e 
de Hans Christian Andersen

Temporada artística

2006/ 2007

Em exibição

30 novembro a 29 dezembro 2006
e 02 janeiro a 31 de janeiro 2007
Cine Teatro de Santo António

Classificação etária

Maiores de 3 anos

Duração

1 Hora
(aproximadamente)

Encenação
Eduardo Luíz

INTÉRPRETES

Ana Graça
Dina de Vasconcelos
Élvio Camacho
Luís Melim
Patrícia Perneta
Sónia Carvalho
Zé Ferreira

Ficha Artística e Técnica

Autoria | Maria Clara Machado e Hans Christian Andersen
Encenação e Dramaturgia | Eduardo Luíz
Dramaturgia e Letras das Canções | Magda Paixão
Espaço Cénico, Figurinos, Adereços, Caracterização e Ilustração de Slides | Rúben Freitas
Música Original e Direcção Vocal | Fernando Almeida
Direcção de Cena e Operação de Som | Avelina Macedo
Desenho Base do Programa | Rúben Freitas
Desenho e Operação de Luz | Carlos Ribeiro/Luz Palco
Desenho e Montagem de Som | Henrique Vieira
Produção Executiva | Patrícia Perneta

Texto do Encenador

Se existem atitudes que sempre desagradam na vida são aquelas que consistem numa fria e arrogante sistematização de liquidar toda e qualquer hipótese de experimentação a um indivíduo, negando-lhe assim, à partida, a descoberta.
Todos, ou melhor, alguns entre todos, sabem que existem valores; tesouros escondidos que não se revelam logo à primeira e por isso, difíceis de vislumbrar. Só alguém com muita paciência e um pouco de fé é capaz de acreditar no fruto que nasce espontaneamente quando menos se espera. A um indivíduo é necessário dar-lhe confiança, para acreditar em si próprio, evoluir e mostrar o seu real valor.
Com O Patinho Feio apraz-me encenar para crianças, jovens e adultos uma história que, ainda não apreendida por todos, nos mostra que existem talentos escondidos. Porque, mais do que um patinho rejeitado inicialmente por ser feio, e que se torna num belo cisne, acredito num pato ao qual não deram a possibilidade de se encontrar e de se descobrir para se mostrar perante os outros.
Algumas pessoas também são radicais, e contradizê-las é difícil, porque já com as ideias feitas e com as primeiras leituras estabelecidas, tudo o que vier depois não interessa. E se cada uma dessas pessoas olhasse para os espelhos que vivem nos olhos dos outros? Aguentariam o seu reflexo?

Sinopse

«Afinal, quem é que já não foi o patinho feio pelo menos uma vez na vida? Quem é que ainda não se sentiu sozinho, feio, incompreendido, rejeitado, o único no mundo a sofrer incomensuravelmente, etc. e tal?» Bernardo Jablonski

Um patinho é rejeitado por todos por ser considerado feio e diferente. Triste? É verdade. Depois de passar por muitas experiências desagradáveis descobre que afinal é um lindo cisne.
Um conto que todos conhecemos, seja por ouvir falar, seja por experiência própria, ou mesmo por ambos.

«[…] Esta história tão bonita, tem um sentido oculto que é ainda mais bonito. Quer ela dizer que as pessoas que nascem com aptidão, talento ou virtudes verdadeiramente grandes, por muito pouco compreendidas que sejam, no fim de contas sempre vêm a sair vencedoras de todos os contratempos.»

Maria Amália Vaz de Carvalho e Gonçalves Crespo no sítio www.purl.pt (Biblioteca Nacional)

Start typing and press Enter to search

Produção 102 do Teatro Experimental do FunchalProdução 105 do Teatro Experimental do Funchal