7 de março de 2018 / 21h00 – Estreia

Em exibição

De 7 a 27 de março de 2018

De quinta a sábado
às 21h00

Domingos
às 18h00

ESPECIAL

Sexta dia 16 de março
às 09h30 e 21h00

Terça 27 de março – Dia Mundial do Teatro
às 21h00
(integrado no Festival AMO-Teatro)

TRADUÇÕES EM LGP
16 março | 9h30 e 24 de março | 21h00

Duração

90 minutos (aproximadamente)

Classificação etária

Maiores de 16 anos

Os gladiadores 7 de março de 2018 / 21h00

Texto do Encenador

Caros espetadores,

Parafraseando e expondo diversas análises sobre esta divertida sátira o texto aborda “… os mitos da vida moderna, a publicidade, a psicose da orgânica, da organização, a idolatria, o legalismo limitado, a fúria de dinheiro, de poder, de burocracite, os equívocos do amor, o feminismo, o machismo, o combate dos sexos, o abastardamento da cultura, da vida, da política… e como força de redenção… a humanidade desavinda… e mesmo assim o tempo tem sempre uma palavra a dizer…” (Duarte Ivo Cruz)

Pois bem, esta é uma experiência diferente e parecida com muitas outras que propus em anos anteriores. O principal objetivo é que  partilhem desta “loucura simbólica” onde o humor perpassa todo o texto, sem deixar de referenciar preocupações mundanas, com que ainda hoje, infelizmente, gladiamos. Este combate tolo, instituído por homens e mulheres que gladiam, é somente uma distração gigante, face ao que de realmente grave está a acontecer em todo o planeta, aqui bem perto de nós, num obsessivo jogo de xadrez onde os “grandes”, na sua apatia, se distraem tal como os deuses no Olimpo, a jogar com a vida dos humanos. Uma realidade geradora de negatividade que extravasa o planeta, contaminando e invadindo o  universo…

Não esperem a lógica ou a não lógica. Onde encontrarem uma verdade, outra existirá  bem escondida, por vezes, exageradamente declarada. Divirtam-se e aproveitem a oportunidade para entrarem nesta “gladiação”,  recriada num tom irónico, mas contundente, iconoclasta e feroz.

Eduardo Luíz

SOBRE O ESPETÁCULO

O Expressionismo, como o próprio nome suscita, busca ser uma expressão dos sentimentos e das emoções do autor da obra. Assim, os artistas exageram e distorcem os temas em seu processo de catarse. Revelando o lado pessimista da vida, esta escola utilizou a arte enquanto forma de refletir a angústia existencialista do indivíduo alienado, fruto da sociedade moderna, industrializada

O Surrealismo propõe a valorização da fantasia, da loucura e a utilização da reação automática: um meio de expressar a fusão dos sonhos e da realidade em um tipo de realidade absoluta, uma “surrealidade“.

O Experimentalismo é o compromisso de explorar novos conceitos e representações do mundo através de métodos que vão além das convenções estabelecidas na tradição literária e das artes.

Sinopse

“… 1ª CONVIVA – (Possessa de uma crise birrenta) Fora os homens, fora os homens, fora os homens!…
INGÉNUA – Mas porquê, também? Que mal lhe fizeram eles?
1ª CONVIVA – São homens! Fora!…”

Esta é a história vivida duma matrona que, tendo casado dezanove vezes, se livrou, salva de cada uma das ousadias matrimoniais, e… do nascimento de um filho-fenómeno, dum filho inconcebível, recém-chegado de Paris… Com ela se teceu uma intriga mesquinha e amesquinhante para todos os homens…

“… PROTAGONISTA – Filho, não te ponhas a berrar… pareces um cabrito.
MENINO – Quero chucha e hei-de arranja-la. Que raio de mundo onde ninguém pode contar senão consigo!… Mas hei-de ser gente! Hei-de arranjar-me! Hei-de ser qualquer coisa grande! Qualquer coisa muito tesa! … Fascista! Nazista! Esquerdista! Direitista! Neoliberalista! Presidente! Imperador! Rei! Papa!… não sei. E hei-de mamar! Mamar! Mamar!…”
In Os GLADIADORES de Alfredo Cortez

INTÉRPRETES E PERSONAGENS

HOMENS


André Rodrigues | 5º Homem |Desgraçado |Redator Principal
Duarte Rodrigues | 1º Homem |Realizador
Filipe Luz | 10º Homem |Menino |Operário
Marcos de Góis | 3º Homem |Belo-Bruto
Pedro Santos | 6º Homem |Conquistador |Segundo Redator
Ronaldo Marques | 4ºHomem |Galã |Repórter Fotográfico
Xavier Miguel | 2º Homem |Satanás | Torrão de Açúcar | Comerciante |Costureiro| Agente Funerário| Camaraman
Luís Costa |1º Contrarregra
Tomás Basílio |2º Contrarregra

MULHERES


Adriana Sousa | Ingénua
Celina Pereira | Advogada
Ester Vieira | Protagonista
Isabel Martins | 1ª Conviva
Margarida Gonçalves | Presidente
Mariana Faria | Diplomada
Sandra Cardoso | 2ª Conviva

Ficha Artística e Técnica

Texto |a partir de Alfredo Cortez
Dramaturgia e Encenação | Eduardo Luíz
Tradução em LGP |Mónica Rodrigues
Assistência à Encenação | Pedro Santos
Direção de Cena | Mariana Faria
Encarregues de Contrarregra | Adriana Sousa e Ronaldo Marques
Criação de Cenografia e Adereços | Paulo Sérgio BEJu
Assistentes de Cenografia e Adereços| Daniel Rodriguez, Miguel Teixeira e Ruben Freitas
Conceção e Seleção de Figurinos | André Correia
Assistentes de Guarda Roupa | Cristina Loja e Ronaldo Marques
Costureiras| Natividade Correia e Salete Silva
Coreografias | Casey-lee Binns
Seleção e Criação de Efeitos Sonoros | Daniel Rodriguez
Montagem da Banda Sonora | Henrique Vieira
Operação de Som | Daniel Rodriguez e Henrique Vieira
Desenho de Luz | Eduardo Luíz e Helder Martins
Montagem de Luz |Helder Martins e Xavier Miguel
Operação de Luz | Helder Martins
Edição e Operação Multimédia |Miguel Teixeira
Carpintaria de Cena | Anastácio Santo
Fotografia do Cartaz | DDiArte
Design Gráfico | Filipe Gomesthe one line design
Fotografia de Cena | António Plácido
Video clip promocional | António Plácido e João Santos
Produção Executiva| Ester Vieira
Assistentes de Produção | Daniel Rodriguez, Helena Machado, Isabel Martins, Mariana Faria, Pedro Santos e Sandra Cardoso
Divulgação | António Plácido, Daniel Rodriguez, Helena Machado e Isabel Martins
Frente Casa | Avelina Macedo e Daniel Rodriguez
Bilheteira | Helena Machado

PS – Neste espetáculo são recriados figurinos e adereços de anteriores produções do TEF, cuja conceção artística provém duma extensa e talentosa equipa de figurinistas, cenógrafos e aderecistas, criados ao longo dos últimos 42 anos.