O Gato das Botas
a partir de Charles Perrault, Maria Clara Machado e Pascal Hérold

Temporada artística

2015 / 2016

Em exibição

28 novembro a 19 dezembro 2015
e de 5 a 30 de janeiro 2016
Cine Teatro de Santo António

Classificação etária

Maiores de 3 anos

Duração

1 Hora (aproximadamente)

Encenação
Eduardo Luíz

INTÉRPRETES E PERSONAGENS

Elenco Base TEF:
Ana Graça (Pai, Coelha e Ofélia) e Magda Paixão (Rainha).

Estagiário pelo Instituto de Emprego da Madeira:
Simão Telo (Gato das Botas).

Formandos do 3º Ano do Curso Profissional de Artes do Espetáculo – Interpretação do Conservatório – Escola das Artes em Regime de Formação em Contexto de Trabalho:
Beatriz Barros (2º Guarda e Cozinheira Real); Clara Franco (Narradora); Débora Viveiros (Manuela, Coelha e 1º Pajem); Isaías Viveiros (1º Guarda e Feiticeiro Cara de Pau); João Janes (João Pedro); Laura Aguilar (Princesa); Pedro Cunha (Camareiro); Sandra Barreto (Antónia, Coelha e 2º Pajem); Sara Mendes (Rei).

Figuração:
Formandos do 1º e 2º Anos do Curso Profissional de Artes do Espetáculo – Interpretação do Conservatório – Escola das Artes em Regime de Formação em Contexto de Trabalho.

Ficha Artística e Técnica

Texto | a partir de Charles Perrault, Maria Clara Machado e Pascal Hérold
Encenação e Dramaturgia | Eduardo Luíz
Assistência de Encenação e Caracterização | Adriano Martins
Assistência Dramatúrgica | Magda Paixão
Diretor de Cena | Pedro Cunha
Encarregues de Contrarregra | Débora Viveiros e Sandra Barreto
Cenografia, Seleção e Transformação de Guarda-roupa* e Adereços | Cristina Loja
Carpintaria | SR Interiores
Costura de Guarda-roupa | Ilda Gonçalves
Apoio à Montagem Técnica e Artística | Adriano Martins
Luminotecnia e Operação de Luz | Hélder Martins
Orquestração e Músicas | Fernando Almeida
Conceção Musical da “Canção da Princesa” e da “Canção do Povo de Carabá” | Sara Mendes e Simão Telo
Montagem da Banda Sonora | Henrique Vieira
Coreografias | Elenco
Operação de Som | Célia do Carmo
Design Gráfico | DDiArte
Fotografias de Ensaio | Célia do Carmo
Realização do Filme | António Plácido
Imagem e Edição do Filme | João Santos
Produção, Promoção e Divulgação | António Plácido. Coordenação – Magda Paixão. Colaboração – Filipe Luz
Frente Casa e Bilheteira | TEF

* Utilização/adaptação de figurinos e adereços, de anteriores produções do TEF.

Texto do Encenador

Ao completar 38 anos ao serviço de Teatro nesta Companhia que tem sido a minha casa de histórias (onde eu as contei tanto no bastidor como no palco), venho contar-vos a história do Gato que nas suas Botas leves como o ar, rápidas como o vento, silenciosas como a noite e sem deixarem pegadas, chega nesta época de Natal para comemorar o Teatro, nos 40 anos do TEF.
Este Gato encantado vem celebrar com todos vocês, que têm dado a todos os atores e atrizes, que pisaram o nosso palco ao longo de toda uma vida, a alegria de trabalhar em milhentas histórias e de continuar a vos proporcionar felicidade e vos tornar apaixonados pelo Teatro.
Após ter lido vários autores, que durante os tempos foram contando de diversas formas O Gato das Botas, apresento-vos, à minha maneira, esta história. Assim, dou-vos a conhecer o Cavaleiro Pepeu que por ter maltratado o gato de uma fada, foi castigado com um feitiço, que o transformou em gato. Ao ajudar o João Pedro (o rapaz da nossa história) pôde finalmente ser livre e… enfim feliz.
Espero que se divirtam e festejem connosco os quarenta anos de tantas histórias.
Ao completar os 40 anos do TEF, não posso deixar de dedicar este espetáculo para a infância e juventude a duas sócias e atrizes que há quase 30 anos têm estado presentes nos bastidores e no palco desta companhia nos seus mais diversos papéis: Magda Paixão e Ana Graça.

Sinopse

“Pode ser coisa vantajosa / Heranças ter mui valiosas / Legadas pelos nossos pais; / Mas para os jovens geralmente / O zelo, o esforço consciente / Do que as heranças valem mais”.

Charles Perrault in Contos de Clássicos de Bolso, Lisboa: Editorial Estampa, 1977.

Um velho moleiro distribui os seus únicos bens, um moinho, um burro e um gato, pelos seus três filhos. João, o filho mais novo  recebe o gato. Desiludido, pensando que este não lhe serviria de nada, logo se apercebe que o gato, para além de falar, é esperto e um amigo fiel que lhe trará grandes alegrias.


Produção 139 do Teatro Experimental do FunchalProdução 135 do Teatro Experimental do Funchal