A Estrela Perdida
de Magda Paixão a partir da história A Estrela Perdida de Francisco Fernandes

Em exibição

8 maio a 3 junho 2011
Cine Teatro de Santo António

Classificação etária

Maiores de 3 anos

Duração

1 Hora
(aproximadamente)

Encenação
Eduardo Luíz

INTÉRPRETES E PERSONAGENS

Ana Graça | Estrela Perdida
Daniel Nascimento | Pescador e Pirata
Duarte Nunez (voz-off) | Ursa Maior e Ursa Menor
Eduardo Luíz (voz-off) | Sol
Élvio Camacho | Lua
Isabel Martins* | Alnilan e Cometa 1
Magda Paixão | Alnitaka e Cometa 2
Mário Rodrigues | Filho do Pescador e Tartaruga
Paula Erra | Mintaka e Cometa 3

* Actriz gentilmente cedida pela Equipa de Animação do Gabinete Coordenador de Educação Artística.

Ficha Artística e Técnica

Encenação | Eduardo Luíz
Música Original e Orquestração | Fernando Almeida
Figurinos | André Correia
Cenografia e Adereços | Décia Isabel
Desenho de Luz | Hélder Martins
Coordenação de Sombras * | Isabel Martins
Direcção de Cena e Contra-Regra | Avelina Macedo e Cristina Loja
Coordenação de Figurinos**, Adereços** e Dispositivo Cénico: Cristina Loja e Avelina Macedo
Apoio Geral | Daniel Nascimento e Mário Rodrigues
Design Gráfico | Dupla DP & Associados S.A.
Confeção de Figurinos | Atelier André Correia
Sonoplastia e Montagem de Som | Eduardo Luíz e Henrique Vieira
Operação de Som | Avelina Macedo
Montagem e Operação de Luz | Hélder Martins
Frente de Casa e Bilheteira | Patrícia Perneta e Élvio Camacho

* Inspiradas nas ilustrações de Helena Berenguer

** Utilização/adaptação de figurinos e adereços, de anteriores produções do TEF.

Sinopse

« […] Alnitaka – (ríspida) Ó menina, o que fazes por aqui?
Mintaka – (amistosa) Não ligues à dureza da minha irmã. Olá, eu sou (apresenta-se): Mintaka
Alnilan – Alnilan.
Alnitaka – (sempre com ar de poucos amigos) Alnitaka.
Mintaka – Na Terra as pessoas dizem que somos as Três-Marias.
Alnilan, Alnitaka e Mintaka – (entoam em coro) Três-Marias, Três-Marias, Três-Marias.
Estrela Perdida – Eu…, que posso dizer, sou uma estrela perdida. Não consigo encontrar o meu lugar. […].» *

Era uma vez uma estrela que andava perdida a vaguear pelo céu. Apesar dos encantos do Universo a estrela sabia que esse não era o seu destino. Após algumas aventuras eis que finalmente encontrou o seu lugar, e com ele, a sua missão, imaginem lá, na cauda de uma ursa. Mas como lá chegar? Bastou-lhe esfregar os olhos e contar até três para se encontrar no seu lugar, pois tudo não passara de um sonho, do que, há muitos e muitos anos, lhe acontecera.

*PAIXÃO, Magda, A Estrela Perdida, excerto da peça.


Produção 121 do Teatro Experimental do FunchalProdução 117 do Teatro Experimental do Funchal