Breve Historial da Associação Teatro Experimental do Funchal (1975-2017)

A Associação Experimental do Funchal (ATEF) iniciou o seu percurso em 1975, nos serviços culturais da Câmara Municipal do Funchal, denominada na altura como Grupo Experimental de Teatro do Funchal (GEFT), por iniciativa do então Chefe de Serviços da Comissão de Atividades Culturais do TMBD, Sr. Fernando Nascimento.

Em setembro de 1982, numa reunião de atores, passou a denominar-se de Teatro Experimental do Funchal.

Historial

A 12 de abril de 1984, formou-se a Cooperativa de Responsabilidade Limitada, Teatro Experimental do Funchal.
Em 2006 a sua natureza jurídica passou para Associação Cultural sem fins lucrativos.
Em 2007 foi-lhe atribuído o Estatuto de Utilidade Pública de Pessoa Coletiva.

Ao longo dos anos os seus ensaios dividiram-se por vários espaços: Teatro Municipal Baltazar Dias (até 1984), Inatel, Ateneu, espaços privados (sem sede própria a sua atividade dispersava-se por vários locais), Inatel, (a partir de 1987) Teatro Municipal Baltazar Dias, (em 1994) Auditório do Jardim Municipal e recreio da Escola Primária da Carreira (onde fazia sede numa sala da mesma, desde 1987), Cine Teatro Municipal de Santo António (a partir de 1995 – onde tem realizado a maior parte dos seus espetáculos) e Centro Cívico Edmundo Bettencourt – aquando da sua mudança de sede (1998).

Fez itinerância com os seus espetáculos por toda a RAM e espaços nacionais: Circo de Braga, Coliseu Micaelense (Açores), Coimbra, Casa Cultural de Beja, Chapitô, Teatro A Barraca, Fafe, Porto, entre ouros. Atuou em vários festivais (FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica – Porto; Encontro Regional Funchal em Lisboa; Festival Colombo – Porto Santo; Cortejo 500 Anos da Cidade do Funchal). Participou em Feiras do Livro, Festas da Cultura e outras.

Historial
Historial

Na Temporada Artística, 2007/2008 todos os espectáculos estreados foram integrados nas Comemorações dos 500 anos da Cidade do Funchal e estamos certos de que este facto constituiu um motivo de orgulho para a  nossa cidade, adequando-se ao lema das festividades: Funchal, Uma Porta para o Mundo.

Desde a sua formação já produziu 138 espetáculos para crianças, jovens e adultos, assinados por vários autores estrangeiros, portugueses, alguns dos quais madeirenses. Da sua vasta lista de autores constam: Shakespeare, Antoine Saint-Exupéry, Molière, Bertold Brecht, Tennessee Williams, August Strindberg, Shakespeare, Maria Clara Machado, Andrè Brun, Jorg Buchner, John Arden, Lope de Rueda, Cervantes, Jean Genet, Paul Maar, Karl Wallentin, Oscar Von Pfhul, Lucien Lambert, August Strindberg, Angelo Beolco, Sílvia Ortoff, Marivaux, Almeida Garret, Camilo Castelo Branco, Raul Brandão, Ramón Gomes de la Serna, Lyman Frank Baum, Jean Paul Sartre, Anton Tchekov, Kiko Palmeira, Virgílio Martinho, Fernando Passos, Natália Teles, António Manuel Couto Viana, Maria Teresa Horta, António Aleixo, Orlando Barros, Carlos Manuel Rodrigues, Manuel Couto Viana, Norberto D’Ávila, Fernando Pessoa, Mendes de Carvalho, Orlando Neves, José Jorge Letria, Roberto Merino, Fernando Augusto, António Torrado, Armando Nascimento Rosa, Kjiartan Poskitt, Carlo Goldoni, Craig Lucas, Thorton Wilder, Yvette K. Centeno, Aristófanes, Paulo Sacaldassy, Maquiavel, Ernesto Rodrigues, Félix Bermudes, Fernando de Paços, António Manuel Couto Viana, João Bastos, José Viale Moutinho, Francisco Ventura, Carlos Lélis, João França, Ernesto Leal, Baltazar Dias, Francisco Pestana, Marcela Costa, Bernardete Falcão, Lília Bernardes, Eduardo Luíz, Ester Vieira, Magda Paixão, Fátima Rocha, Avelina Macedo, Diogo Correia Pinto, entre tantos outros.

Teve como encenadores: Orlando Barros, Leopold Kielanowsky, Roberto Merino, Fernando Heitor, Miguel Martins, Eduardo Luíz, António Plácido, Ester Vieira, Márcia Rodrigues, Duarte Rodrigues, Miguel Vieira, Élvio Camacho, Kiko Palmeira, Carlos Cabral, Ryszard Kot-Kotecki, Bruno Bravo e Diogo Correia Pinto.

A_GREVE_DE_SEXO_17

Do seu historial constam algumas gravações para a RTP- Madeira: Teatroscópio, O Papão e o Sonho, História para um Tesouro de Natal, A Ilha de Arguim, Lianor no País sem Pilhas, Caminhos em Lama.

Orientou doze cursos de formação de artistas de teatro para o seu Gabinete Artístico, promoveu várias oficinas de formação, para artistas e para a comunidade (crianças, jovens e adultos) em diversas áreas do teatro, contando com professores e artistas de teatro da nossa associação e de todo o país e estrangeiro. Apoiou animações culturais, diversos grupos de teatro da RAM, instituições de solidariedade. Contou no seu percurso com a colaboração do INATEL, Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa, Teatro Nacional D. Maria II, Secretaria Regional da Educação, Escola Profissional de Artes e Ofícios do Espetáculo – CHAPITÔ, Conservatório – Escola Profissional das Artes da Madeira, e várias outras entidades. Promoveu o I, II, III, IV e V Encontros Regionais de Grupos de Teatro (ErgTeatro) com companhias de teatro da RAM e do continente (1992 a 2000). Acolheu a Teatroteca Fernando Augusto (2005 a 2012). O seu programa de rádio A Voz do Teatro (mais tarde, Bastidor) foi para o ar durante 17 anos (inicialmente no Posto Emissor do Funchal e mais tarde na RDP-Antena 2). No momento atual orienta duas formações, uma para crianças dos 7 aos 10 anos, TEFOS, por Isabel Martins e outra a partir dos 15 anos, GETTEF, por Eduardo Luíz.

Pela direção artística passaram, desde 1975, Eduardo Luíz, Élvio Camacho, Fernando Heitor e Roberto Merino.

1993 – Eduardo Luíz, diretor artístico, encenador e ator, é galardoado, em Lisboa, com o prémio Miguel Torga, com o título de “Mérito ao Teatro Amador”, no Teatro da Trindade, juntamente com Joaquim Benite e Carlos Oliveira.

1975

30 de Novembro

Formação do Grupo Experimental de Teatro do Funchal (GETF), integrado nos Serviços Culturais da Câmara Municipal do Funchal, por iniciativa do, então, Chefe de Serviços da Comissão de Actividades Culturais do Teatro Municipal Baltazar Dias (TMBD), Sr. Fernando Nascimento, sendo Presidente da CMF, à época, o Professor Virgílio Pereira.

Os trabalhos decorrem no Teatro Municipal Baltazar Dias.

1976
  • 1º Espectáculo, Auto do Curandeiro de António Aleixo, numa encenação assinada pelos próprios actores.

  • 1º Curso de Formação de Actores do GETF, por Orlando Barros.

1978
  • 1978 – 1982 – A Fundação Gulbenkian financia a vinda do encenador Roberto Merino.

  • 2º Curso de Formação de Actores do GETF, por Júlio Couto e Roberto Merino.

  • 3ª Curso de Formação de Actores do GETF, por Roberto Merino.

  • Participação no 1º Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica.

1981
  • Participação no 4º Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica.

  • Participação no Encontro Regional Funchal em Lisboa.

1982
  • 27 de Setembro – Numa Reunião de actores o grupo passa a denominar-se Teatro Experimental do Funchal.

1983
  • Fernando Heitor é o novo encenador do TEF. (1983 – 1985)

  • 4ª Curso de Formação de Teatro para Actores por Fernando Heitor.

  • 5ª Curso de Formação de Teatro para Actores por Fernando Heitor.

1984
  • 12 de Abril – O Teatro Experimental do Funchal torna-se uma  Cooperativa de Responsabilidade Limitada.

    O grupo é apoiado financeiramente pelo Governo Regional da Região Autónoma da Madeira através da Secretaria Regional do Turismo e Cultura|Direcção Regional dos Assuntos Culturais e pela Câmara Municipal do Funchal.

    Os ensaios decorrem nas instalações do Inatel – Madeira, posteriormente no Ateneu do Funchal e regressam ao Inatel.

     

1985
  • Eduardo Luíz inicia o seu percurso como encenador no TEF. Nos anos subsequentes vários elementos do TEF e externos assinam as encenações de alguns dos espectáculos.

1986
  • 6º Curso de Formação de Teatro para Actores por Eduardo Luíz.

1987
  • O Teatro Experimental do Funchal volta às instalações do Teatro Municipal Baltazar Dias.

  • A Câmara Municipal do Funchal, através da Junta de Freguesia de São Pedro, disponibiliza uma sala da Escola Primária da Carreira para sede do TEF.

1989
  • 7º Curso de Formação de Teatro para Actores, por Raija Kaeste.

  • 8º Curso de Formação de Teatro para Actores, por Eduardo Luíz. (1989 – 1990)

1990
  • 9º Curso de Formação e Preparação de Actores para o Gabinete Artístico do TEF, por Eduardo Luíz, com assistência de Élvio Camacho. (1990 – 1991)

1992
  • I Encontro Regional de Teatro (ErgTeatro 92).

1993
  • II Encontro Regional de Teatro (ErgTeatro 93).

  • Eduardo Luíz, presidente da direcção do TEF, encenador, actor e director artístico, é galardoado, em Lisboa, com o Prémio Miguel Torga de Mérito ao Teatro Amador, no Teatro da Trindade, juntamente com Joaquim Benite e Carlos Oliveira.

1994
  • III Encontro Regional de Teatro (ErgTeatro 94).

  • Os ensaios passam a decorrer no Auditório do Jardim Municipal.

    Quase por Acaso um Emigrante, de João França e encenação de Eduardo Luíz, estreia no Teatro Circo de Braga.

1995
  • A Câmara Municipal do Funchal, através do seu Departamento de Cultura, disponibiliza o Cine-Teatro Municipal Santo António para ensaios e espectáculos.

1996
  • Início do programa de rádio A Voz do Teatro, no Posto Emissor do Funchal.

  • 10º Curso de Formação e Preparação de Artistas de Teatro para o Gabinete Artístico do TEF, por Eduardo Luíz.

1997
  • O TEF celebra um contrato-programa com o Governo Regional da Região Autónoma da Madeira (RAM)|Secretaria Regional do Plano e da Coordenação|Secretaria Regional do Turismo e Cultura|Direcção Regional dos Assuntos Culturais, passando a receber apoio sustentado anual com carácter sistemático. A intenção de ser atribuído um novo espaço para uma nova sede do TEF, no Centro Cívico e Cultural Edmundo Bettencourt, fica contemplada.

  • O programa de rádio A Voz do Teatro passa a ser transmitido na RDP – Madeira com o nome de Bastidor.

  • Élvio Camacho é distinguido como aluno de finalista de mérito da Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa.

1998
  • Dezembro – mudança de sede, da Rua Nova de São Pedro para o Centro Cívico e Cultural Edmundo Bettencourt.

    Élvio Camacho é gentilmente cedido pelo Teatro Nacional D. Maria II, na altura, sob direcção de Carlos Avilez,  para um período de trabalho no TEF e no Grupo de Teatro do Estabelecimento Prisional do Funchal, Experimentar Sentir dirigido por Paula Erra.

  • IV Encontro Regional de Teatro – ErgTeatro 98.

  • 11º Curso de Formação e Preparação de Artistas de Teatro para o Gabinete Artístico do TEF, por Eduardo Luíz.

1999
  • O Estabelecimento Prisional do Funchal (EPF) e o TEF celebram um protocolo de cooperação.

2000
  • V Encontro Regional de Teatro –  ErgTeatro 2000.

    O Teatro Experimental do Funchal, ao fim de 29 anos regista uma série de espectáculos e de outras actividades que lhe permitem estruturar de outra forma os seus serviços. A designação TEF|Companhia de Teatro surge como forma de definir o grupo constituído pelo elenco artístico da área de espectáculos de teatro.

  • A 79ª produção do TEF, A’ Rosas Suicidam-se, de Ramón Goméz de la Serna, numa encenação de Bruno Bravo e Élvio Camacho, faz uma digressão pelo país, sendo recebida em Lisboa com muitos elogios.

    Ao longo da sua existência estendeu a sua actividade a toda a região e espaço nacional.

    Possibilitou formação ao seu elenco artístico, convidando para o efeito vários professores do país e do estrangeiro promovendo anualmente Oficinas de Formação na área do Teatro.

    Fez várias animações para diferentes entidades, colabora com Instituições de Solidariedade Social, o seu programa de rádio Bastidor, da Responsabilidade de Margarida Gonçalves, Henrique Vieira e Eduardo Luíz, para além de teatro radiofónico divulgou o teatro não só a nível regional, mas também nacional e apresenta entrevistas com gente de teatro. Mais de 650 programas foram já emitidos (Nov. 2007).

  • Contou com algumas gravações para televisão.

  • Foi responsável pela página de teatro no semanário Tribuna da Madeira e na revista Saber onde apresentou mais de 300 artigos com entrevistas, divulgação de espectáculos, história do teatro, etc., promoveu o Projecto Tefinhos – teatro para crianças. Contou com um elenco artístico fixo permanente e com uma equipa de trabalho de serviços administrativos.

2005
  • O TEF não recebe apoio sustentado, neste ano, e mantém a sua actividade.

  • Nomeado para a 1ª Gala RTP – Diário de Notícias, é galardoado com o troféu vencedor, na categoria Teatro.

  • Élvio Camacho e Eduardo Luíz partilham a direcção artística do TEF.

  • 30 de Novembro – No 30º Aniversário, é inaugurada, com o apoio da Comissão Funchal 500 Anos, por Sua Excelência o Presidente do Governo Regional da Região Autónoma da Madeira, Dr. Alberto João Jardim a Teatroteca Fernando Augusto, gentilmente cedida por protocolo pelo actor Élvio Camacho.

2006
  • O TEF volta a receber apoio sustentado com a assinatura de um novo Contrato-Programa Plurianual (2006, 2007 e 2008) com o Governo Regional da RAM.

  • A Delegação Regional da ANAFRE e o Teatro Experimental do Funchal celebram um protocolo de cooperação.

  • Março – Termina a carreira da 62ª Produção do TEF | Companhia de Teatro, Soprou Vento Leste, de Lília Bernardes, com encenação de Eduardo Luíz, o espectáculo do TEF, estreado em Março de 1996, que mais tempo esteve em cena e que fez a maior digressão de sempre do TEF.

  • 24 de Agosto – O Teatro Experimental do Funchal torna-se  uma Associação Cultural.

  • 30 de Novembro – No 31º Aniversário, o Teatro Experimental do Funchal apresenta-se como Associação, e, com o apoio mecenático da DuplaDP – Novos Conceitos de Comunicação e Publicidade, Lda., com uma nova imagem, inaugurando, também o seu portal no mundo cibernáutico associados a um lema: TEF fá-lo sair de casa.

  • 19 de Dezembro – O Governo Regional da Região Autónoma da Madeira homenageou o Teatro Experimental do Funchal  atribuindo-lhe o Galardão da Cultura.

2007
  • 13 de Setembro – A Câmara Municipal do Funchal deliberou, por unanimidade, emitir parecer favorável à atribuição do Estatuto de Pessoa Colectiva de Mera Utilidade Pública da requerente, Associação Teatro Experimental do Funchal, atendendo a que, conforme parecer do Departamento Jurídico (refª 227/DJ/2007) a mesma reúne os requisitos necessários à atribuição daquele Estatuto.

  • 13 a 15 de Setembro – Com organização da Secretaria Regional de educação e Cultura, da Direcção Regional dos Assuntos Culturais e da Câmara Municipal do Porto Santo, o TEF produz e assina a encenação do desembarque de Cristovão Colombo bem como a direcção artística das animações do Festival Colombo 2007 trabalhando maioritariamente com a população do Porto Santo. 

  • 30 de Novembro – No 32º Aniversário do TEF, é inaugurado,  com o apoio mecenático da Néstle e da DuplaDP, por Sua Excelência a Vereadora da Câmara Municipal do Funchal, Dra. Rubina Maria Branco Leal Vargas, no foyer do Cine-Teatro Municipal Santo António, o Café dos Artistas.

  • Toda a temporada artística, 2007|2008, é parte integrante das comemorações Funchal 500 Anos.

  • 20 de Dezembro – Na reunião do Conselho de Governo da Região Autónoma da Madeira foi declarada a Utilidade Pública à Associação Teatro Experimental do Funchal (Resolução nº. 1382/2007).

2008
  • 11 de Março – O TEF estreia a sua 108ª produção, no Teatro Municipal Baltazar Dias, por ocasião do 120º Aniversário do mesmo, A Nossa Cidade, de Thornton Wilder, com encenação de Élvio Camacho, no contexto das comemorações dos 500 Anos da Cidade do Funchal, contando com elencos e equipas técnicas convidadas do Grupo de Mímica e Teatro Oficina Versus (três actores e quatro costureiras), da Com.Tema o actor Nuno Morna, dos núcleos de teatro do EPF, Experimentar Sentir e Os Trapalhões (8 actores) e do Conservatório Escola Profissional das Artes da Madeira (2 formandos do Curso de Teatro e Interpretação).

Start typing and press Enter to search